Educação Ambiental

por Alexsandro M. Medeiros

lattes.cnpq.br/6947356140810110

 

            Considerar a problemática das políticas públicas ambientais (como em todas as áreas) como apenas uma responsabilidade estatal é um erro grave e constitui uma visão unilateral do problema. É impossível se debruçar sobre as questões ambientais sem considerar o papel da sociedade civil e, por essa razão, resolvemos dedicar algumas linhas deste texto a área da educação ambiental, pois acreditamos que para que haja uma participação e um envolvimento maciço da sociedade com tais problemas, é preciso conscientizar e sensibilizar as pessoas para a importância do papel que cada um de nós desempenha nesse processo.

 

 

            As reivindicações do direito a um meio ambiente ecologicamente equilibrado envolvem diferentes atores sociais que começam a se preocupar e se interessar com a temática ambiental e com o futuro do nosso planeta. E pela educação podemos aprender a prevenir e enfrentar os riscos globais de nossas ações além de repensar a nossa forma de participação na vida pública e nosso papel enquanto cidadãos que devem colaborar para a preservação do meio ambiente.

 

 

CONCEITO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

 

            A educação ambiental deve ser compreendida como uma aliada à educação, na qual, poderá ser desenvolvida tanto num ambiente formal (escola) ou até mesmo em outros ambientes não-formais (rua, praça, casa e etc.). Pois, essa educação tem a função de transmitir os valores e conhecimentos através do diálogo em sintonia com os ideais da construção de uma sociedade socialmente justa e ecologicamente prudente.

            Sabemos que os problemas ambientais causados pela ação do homem ao meio ambiente vêm provocando uma série de inquietação nas diversas pessoas que se dedicam a tal temática. Vejamos, portanto, algumas definições e ideias a respeito da Educação Ambiental (EA) que procuram abordar uma possível solução para os problemas ambientais:

 

 

A Educação Ambiental é uma dimensão do conhecimento que pretende preparar o cidadão para desenvolver a sua consciência individual e assim possa realizar uma leitura crítica de mundo levando-o a desenvolver valores, habilidades, experiências, conhecimentos e motivações que lhe permita identificar, compreender e resolver coletivamente os problemas reais do meio ambiente [...]A Educação Ambiental é uma prática social que estimula o reflexo crítico para a busca de soluções e ações racional sobre os problemas socioambientais em nosso meio (CONFERÊNCIA DE TBILISI, 1977).

 

A qualidade de vida em nosso planeta tem sido rapidamente deteriorada, com o comprometimento não somente dos aspectos físicos ou biológicos, mas principalmente dos fatores sociais e políticos. Neste contexto, o ambiente pode ser considerado um tema de cada disciplina [...] Ele deve ser abordado como uma dimensão que sustenta todas as atividades e impulsiona os aspectos físicos, biológicos, sociais, e culturais dos seres humanos [...] O pensamento cartesiano que conduziu a ciência pelo aspecto específico, e a diversidade de acontecimentos ambientais não permitem a criação de uma disciplina de Educação ambiental, pois dificilmente se encontra um profissional de formação polivalente que detenha todos os conhecimentos inerentes à multidimensionalidade associada à questão ambiental (SATO, 2003, p. 24).

 

Desequilíbrios no meio Ambiente constituem uma das maiores preocupações políticas, sociais, econômicas e educacionais de nossa época. Não bastam apenas leis para proteger o meio ambiente; faz-se necessário também uma educação acerca das questões ambientais. A educação ambiental, como toda educação enquanto desenvolvimento de consciência crítica pode levar a uma reflexão sobre o nosso processo civilizatório, procurando assim estabelecer uma nova ética nas relações entre as diferentes sociedades e a natureza (MATOS apud GRACINDO, 2007, p. 87)

 

Quando afirmamos e definimos a educação ambiental como educação política, estamos afirmando que o que deve ser considerado prioritariamente na educação ambiental é a análise das relações políticas, econômicas, sociais e culturais entre a humanidade e a natureza e a relações entre os seres humanos. (REIGOTA, 2009, p.13)

 

O desafio da educação ambiental é sair do conservadorismo (biológico e político) a que se viu confinado e propor alternativas sociais, considerando a complexidade das relações humanas e ambientais [...]A educação ambiental tem contribuído para uma profunda discussão sobre educação contemporânea em geral. Já que as concepções vigentes não dão conta da complexidade do cotidiano em que vivemos nesse final do século (REIGOTA, 2007, p.28-29).

 

A educação ambiental deve ter como base o pensamento crítico e inovador em qualquer tempo ou lugar, em seu modo formal e não formal, promovendo a transformação e construção da sociedade [...]A educação ambiental deve ajudar a desenvolver uma consciência ética sobre todas as formas de vida com as quais compartilhamos este planeta, respeitar seus ciclos vitais e impor limites a exploração dessas formas de vida pelos seres humanos (GADOTTI, 2002, p. 95-96). 

 

            Vemos assim que a educação ambiental em especial na prática pedagógica dos professores deve aguçar nos estudantes o valor que tem a imensidão deste planeta. Se a prática pedagógica for bem desenvolvida, conseguirá formar cidadãos de bem que possam servir a humanidade, neste mesmo viés da educação consistirá um ser ético que será capaz de lutar, de questionar, e sensibilizar as pessoas a respeitarem os ciclos vitais e pôr limites e evitar essa grande defasagem feita pelos seres humanos.

 

Referências Bibliográficas

 

GADOTTI, Moacir. Pedagogia da terra. 4.ed.São Paulo: Petrópolis, 2000. (Série Brasil Cidadão).

MATOS, Luís, Roberto, Rodrigues de. Políticas Públicas e Pedagógicas Cotidianas: um Estudo de caso dos PCN- Meio Ambiente em Sorocaba. In: GRACINDO, Regina Vinhaes (org.) [et al]. Educação como exercício de diversidade: estudos em campo de desigualdades sócio- educacionais. 2. vol., Brasília: Liber Livro Ed., 2007.

REIGOTA, Marcos. O que é educação ambiental. 2. ed. Revista e ampliada: São Paulo: Brasiliense, 2009 (Coleção primeiros passos).

____. Meio ambiente e representação social. 7. Ed. São Paulo: Cortez, 2007 (Coleção Questões da Nossa Época, v. 41).

SATO, M. Educação Ambiental. São Carlos: Rima 2003.