Ray Cardoso: mais uma CPI na Câmara?

15-06-2011 08:23

 

 

No mês de junho do ano corrente os presidentes de blocos, filiados a Liga dos Blocos Carnavalescos de Parintins definiram em Assembléia extraordinária, por unanimidade, o afastamento de Ray Cardoso (mais conhecido como Cabeça, que também é vereador do Município), da presidência da LIBLOC.

 

O pedido de afastamento de Ray Cardoso foi definido depois de várias denúncias com farta documentação que sinalizam que o agora presidente afastado violou o artigo 31 do Estatuto Social, pois comprometeu o patrimônio da entidade ao contrair dívidas e emitir cheques sem autorização da assembléia, bem como notas promissórias que não foram pagas e já foram protestadas no Cartório Judicial do 1º Oficio de Parintins. Também foi apresentado na assembléia o instrumento particular de confissão de dívidas, e documentação que comprovam que a empresa Kaiser pagou R$ 20 mil em espécie para ter sua logomarca nos abadas dos blocos do Carnailha 2011, porém Ray Cardoso havia dito que não tinha recebido nada da empresa.


Depois de votado e aceito o afastamento de Ray Cardoso, foi feita eleição e posse de uma Comissão Interventora, que cuidará de todas as ações relacionadas à LIBLOC.


No domingo (12/06) foi realizada assembléia extraordinária com participação de 23 dos 24 blocos carnavalescos filiados a LIBLOC. A assembléia foi presidida pelo presidente da comissão interventora da entidade, José Nildemar, do Bloco os Belezuras, que colocou em discussão e votação as irregularidades cometidas pelo presidente afastado Ray Cardoso, Cabeça, sendo aprovado por ampla maioria que essas irregularidades sejam anunciadas ao ministério publico e à Câmara Municipal de Parintins, pois estas denuncias caracterizam quebra de Decoro Parlamentar.

 

“Reiteramos que não estamos com intenção de perseguir ninguém, porém não podemos ficar de braços cruzados, com esta situação que mancha o nome de  nossa entidade”, disse José Nildemar, em reportagem do Jornal da Ilha.

 

Ironicamente, neste mesmo mês de junho, em pronunciamento na CMP, Ray Cardoso disse que pretendia reunir toda a bancada de oposição com o advogado Rosevelt Santos Braga para buscarem orientação sobre a criação na Câmara Municipal de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na secretaria municipal de Saúde.

 

Cabeça afirmou que a CPI poderá trazer para o município a Polícia Federal para colaborar. “O rombo é muito grande. O leão foi cutucado por paus mandados. Eu não sou idiota, eu não sou ladrão. Subsecretario eu não queria brigar com o senhor. O senhor não sabe nem brigar e não esqueça que eu sou vereador”, enfatizou, segundo pronunciamento na CMP.

 

Em sessão do dia 02 de junho o vereador Ray Cardoso afirmou que também estava preocupado com a licitação para a construção do novo estádio de futebol. “Essa licitação é no valor de mais de 6 milhões. Apenas duas empresas ganham licitações em Parintins e vamos denunciar ao Ministério Público. A oposição começou a ficar alerta e não iremos com denuncias vazias”, disse. 

 

O vereador do PRP informou estar tentando reunir ainda mais a oposição para o cenário de 2012. “Tem muita coisa errada e acho que a oposição acordou de uma vez. Na próxima semana iremos até ao escritório da Polícia Federal e o negócio não será brincadeira. Em função do quadro de 2012 as coisas começam a ficar desenhadas”.

 

Resta agora saber: Pra quem as coisas vão ficar feias? Foi só a oposição que começou a ficar alerta e acordou de uma vez? E de quanto é mesmo o rombo?

 

Por fim vale destacar que, se a LIBLOC de fato encaminhar as denúncias à CMP (como acreditamos que deve ser feito), teremos em vista mais uma CPI na Câmara. A terceira, em menos de 01 ano.