A construção do feminino na literatura amazonense: diferentes representações na obra Dois Irmãos de Milton Hatoum

TEXTO APRESENTADO NO 13º MUNDO DE MULHERES E 11º FAZENDO GÊNERO, REALIZADO EM FLORIANÓPOLIS-SC, EM JULHO/AGOSTO DE 2017

por Alexsandro Melo Medeiros

lattes.cnpq.br/6947356140810110

Resumo: A construção e representação da mulher na obra Dois Irmãos, de Milton Hatoum, é marcada por mulheres em diferentes situações e de origens diversas, protagonizando distintos papéis, tendo como cenário principal a região amazônica, em especial a cidade de Manaus. Se por um lado temos a representação de submissão feminina determinada pelas categorias de gênero, classe social e etnia, a obra também apresenta uma representação da mulher que foge aos paradigmas do padrão da sociedade patriarcal instituído historicamente, como é o caso de Zana, a matriarca da família que não se deixa dominar nem subjugar, não silencia e até impõe silêncio ao marido, pela sua postura tenaz invertendo os papéis sociais. Sua filha, Rânia, também foge aos padrões da mulher que é criada para casar, ser esposa, mãe e dona do lar, tornando-se uma astuta mulher de negócios que gerencia o comércio da família ao lado do pai. Nesta abordagem, que tem como metodologia a pesquisa bibliográfica, pretende-se dar ênfase as duas representações: a representação da mulher subjugada devido às condições sociais e étnicas como é o caso da empregada doméstica Domingas e que constitui, dentro da narrativa, um locus de produção e reprodução de ideologias de gênero, classe e etnia; e a representação da mulher que não se intimida com a presença masculina invertendo o modelo patriarcal.

Palavras-chave: Literatura Amazonense. Representação Feminina. Classe Social.

A Política e suas InterfacesArte e PolíticaLiteratura e Política → Feminismo e Literatura → A construção do feminino na literatura amazonense: diferentes representações na obra Dois Irmãos de Milton Hatoum

O trabalho completo estará disponível quando for publicado os Anais do Evento

Array