Amazônia: chaves múltiplas para a interpretação da realidade

Amazônia: chaves múltiplas para a interpretação da realidade

Apresentação do Livro

Gerson André Albuquerque Ferreira; Renan Albuquerque Rodrigues. (Org.). Amazônia: chaves múltiplas para a interpretação da realidade. 1ed. São Paulo: Scortecci Editora, 2012.

 

            Investigar ambientes urbanos e não urbanos e seus respectivos impactos dinamizados pela sociedade global, os quais alteram a configuração dos sistemas socioculturais, é a preocupação central da obra. A relação que as populações mantém com diferentes grupos sociais tem sido preocupação destacada dos pesquisadores que integram este livro e desenvolvem estudos relacionados às Ciências Humanas dentro do bioma Amazônia. Essa preocupação busca correlacionar interesses partilhados entre diferentes áreas de conhecimentos, dentro de espaços acadêmico-científicos recentemente implementados e contingências oriundas da observação da realidade na fronteira entre os Estados do Amazonas e Pará. Nesse sentido, a coletânea não se traduz apenas como uma reunião esparsa de textos, mas sim como um conjunto lógico de interpretações referentes aos modos de vida amazônicos.

         Procurou-se destacar a conexão possível de saberes entre sociologia, comunicação social, antropologia, filosofia, geografia e serviço social, dimensionada a partir de questões ecológicas, indígenas, sobre a agroindústria, e também relacionadas com populações atingidas por barragens e ante impactos da indústria cultural na sociedade desses ambientes. As alterações no modus vivendi desses grupos culturais e as tensões implicadas na dinâmica global são investigadas no decurso do livro, a partir de interesses específicos de autores que buscaram defender suas escolhas teóricas e a partir delas tornar visíveis pontos diversificados do bioma.

            A impossibilidade de pensar a Amazônia enquanto ambiente fechado e imutável é estimulada nos textos. A perspectiva que se propôs foi investigar em que medida os diversos grupos sociais recriaram lógicas próprias de vida, adaptando suas existências às alterações planetárias. A análise crítica dessas adaptações foi pautada sobre o conjunto de tensões que faziam e fazem parte desses complexos processos. Gerson Albuquerque Ferreira e Renan Albuquerque Rodrigues buscam entender essa desfiliação com a realidade a partir de polêmicas relacionadas com a migração, a terra e as mutações culturais e econômicas. Em uma sequência lógica a esses trabalhos, Estevan Bartoli e Tatiane Barbosa incluem no traçado da obra a dialética existente na produção e estratificação do espaço, dimensionada pelo interesse do capitalismo global e do Estado que reproduz e assegura essa estrutura visualizada no processo de repartição e da crise da falta e precariedade nas habitações. Denison Silvan conecta-se a essa perspectiva múltipla a partir dos problemas relacionados ao desenvolvimento da agricultura industrial, mecanizada, sobre vastas áreas ao norte do Cerrado mato-grossense e que avança sobre o sul da Amazônia brasileira. Pelo viés filosófico, Alexandro Medeiros [autor deste website] inclui um exercício reflexivo sobre acontecimentos sem precedentes que causaram e agravaram o processo de deterioração do ambiente com base na teoria da complexidade e na ecologia profunda (paradigma ecológico). Milena Barroso interpreta as ambiguidades do sentido e da aplicação de uma lei penal (Maria da Penha) direcionada para não indígenas e procura identificar os significados dados à violência contra a mulher em sociedades capitalistas e como essa lei é reposicionada para sociedades étnicas, pautadas por saberes tradicionais. Graciene Siqueira desafia as leituras convencionais sobre o cinema na Amazônia e contextualiza as novas tecnologias digitais de comunicação em face às reproduções tradicionais de mundo encontradas no bioma.

 

SUMÁRIO

Sobre a produção social do espaço urbano –

Gerson André Albuquerque Ferreira

 

Reflexão e crítica sobre a comercialização do folclore parintinense –

Gerson André Albuquerque Ferreira e Renan Albuquerque Rodrigues

 

A festa de boi-bumbá segundo percepções de jornalistas, brincantes e espectadores do folguedo –

Renan Albuquerque Rodrigues    

 

O desenvolvimento sustentável amazonense e a questão do biocombustível brasileiro: uma reflexão necessária

Denison Silvan    

 

O paradigma ecológico, a teoria da complexidade e a questão ambiental –

Alexsandro Melo Medeiros

 

Sobre as mediações tecnológicas digitais da experiência urbana –

Gerson André Albuquerque Ferreira 

 

Cidadania ambiental e representações sociais: revisão teórica sobre a educação ambiental no Amazonas –

Renan Albuquerque Rodrigues    

 

Exclusão social e indiferença dos coletivos: a Parintins dos sem-teto –

Gerson André Albuquerque Ferreira e Renan Albuquerque Rodrigues  

 

O processo de mutação das culturas juvenis na Ilha Tupinambarana –

Gerson André Albuquerque Ferreira  

 

Efeitos da construção da UHE Balbina na vida dos desterritorializados –

Renan Albuquerque Rodrigues    

 

Ocupações urbanas: a produção das moradias populares em Manaus –

Tatiana da Rocha Barbosa e Estevan Bartoli  

 

Vídeo digital e a produção cinematográfica em Manaus –

Graciene Silva de Siqueira

 

O pluralismo jurídico e a aplicabilidade da Lei Maria da Penha nos casos de violência doméstica contra as mulheres indígenas da etnia Sateré-Mawé –

Milena Barroso    

 

 

Ciência Política → Livros (Coletâneas) → Amazônia: chaves múltiplas para a interpretação da realidade