Bibliografia sobre Aristóteles

Bibliografia Primária

 

Edições do texto grego sobre a obra Política (por ordem cronológica)

[NEWMAN, 1887-1902] The Politics of Aristotle. With a Introduction, Two Prefatory Essays and Notes Critical and Explanatory by W. L. Newman. Oxford, University Press, 2000. 4 vols.

[RACKHAM, 1932] Politics. With an English Translation by H. Rackham. The Loeb Classical Library. London, Harvard University Press, 1990.

[AUBONNET, 1960-1989] Politique. Texte établi et traduit par J. Aubonnet. Paris, Les Belles Lettres, 1960-1989. 5 vols.

 

TRADUÇÕES EM PORTUGUÊS

[AMARAL e GOMES] Política. Tradução e notas de A. C. Amaral e C. C. Gomes. Edição bilíngüe. Lisboa, Vega, 1998.

[FERREIRA] Política. Tradução de Roberto Leal Ferreira. 3. ed. São Paulo, Martins Fontes, 2006. [1ª ed. de 1998]

[GUIMARÃES] Política. Trad. de Torrieri Guimarães. São Paulo: Editora Martin Claret, 2001.

[KURY]. Política. Trad. por Mário da Gama Kury. Brasília: UnB, 1985.

 

TRADUÇÕES EM OUTRAS LÍNGUAS

[BARKER] The Politics of Aristotle. Translated with an Introduction, Notes, and Appendixes by E. Barker. New York, Oxford University Press, 1962. (domínio público)

[PELLEGRIN] Les politiques. Traduction inédite, introduction, notes et index par P. Pellegrin. Paris, Flammarion, [1990] 1993, 2ème éd. revue et corrige.

[TRICOT] La Politique. Nouvelle traduction avec introduction notes et index par J. Tricot. Paris, Vrin, 1995.

[VALDÉS] Política. Traducción de M. García Valdés. Madrid, Gredos, 1994. (domínio público)

 

OUTRAS OBRAS

ARISTÓTELES. Constituição dos Atenienses. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2003. Original: AΘHNAIΩN ΠOΛITEIA (Grécia, cerca de  332 a.C. e 322 a.C.). (domínio público)

____. Ética a Nicômaco. Tradução de L. Vallandro e G. Bornhein da versão inglêsa de W. D. Ross. Aristóteles. Seleção de textos de J. A. Motta Pessanha. São Paulo, Abril, 1987. (Os Pensadores) (domínio público - inglês)

____. Ética a Nicômacos. 2. ed. Trad. de Mário da Gama Kury. Brasília: Ednub, 1992.

____.  L’Étique à Nicomaque. Traduction inédite, présentation, notes et bibliographie par R. Bodéüs. Paris, Flammarion, 2003.

____. Éthique à Eudème. Introduction, traduction, notes et indices par V. Décarie. Paris, Vrin, 1991.

____. Metafísica. Trad. por Vincenzo Cocco e notas de Joaquim de Carvalho. São Paulo: Abril Cultural, 1993. (Col. Os Pensadores).

____. Metafísica. Edición trilingüe [texto grego de Ross e latino de Moerbeke], traducción por V. García Yebra. Madrid, Gredos, 1970. 2 vols.

____. Metafísica. Tradução de L. Vallandro [da versão inglêsa de W. D. Ross]. Porto Alegre, Globo, 1969.

____. Tópicos; Dos Argumentos Sofísticos. Trad. de Leonel Vallandro e Gerad Bornhein. São Paulo: Abril cultural, 1978.

 

Bibliografia Secundária em Português

ADAMS, Lan; DYSON, A. W. Cinqüenta Pensadores Políticos Essenciais. Trad. Mano Pontes, Rio de Janeiro: DIFEL, 2006.

AUBENQUE, P. A Prudência em Aristóteles. Trad. de M. Lopes. São Paulo, Discurso, 2003.

BARNES, Jonathan. Aristóteles. São Paulo: Loyola, 2001.

BARKER, E. Teoria Política Grega. Trad. de S. Bath. Brasília, Ed. da UnB, 1978.

BERTI, Enrico. Aristóteles no Século XX (Aristotele nel Novecento). Trad. Dion Davi Macedo. São Paulo: Loyola, 1997.

____. As Razões de Aristóteles (Le Ragioni di Aristotele). Trad. Dion Davi Macedo. São Paulo: Loyola, 1998.

BITTAR, Eduardo C.B. A justiça em Aristóteles. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

____. Curso de Filosofia Aristotélica. Leitura e interpretação do pensamento aristotélico. São Paulo: Manole, 2003.

BOBBIO, N. Teoria geral da política: a filosofia política e as lições dos Clássicos. Rio de Janeiro: Campus, 2005.

BODEÜS, R. Aristóteles. A Justiça e a Cidade. São Paulo, Loyola, 2007.

BRÉHIER, Émile. História da Filosofia. Tradução de Eduardo Sucupira Filho. São Paulo: Editora Mestre Jou, 1977.

DEL VECCHIO, Giorgio. A Justiça. Trad. portuguesa de Antônio Pinto de Carvalho e Prefácio de Clóvis Beviláqua. São Paulo: Saraiva, 1960. (Coleção Direito e Cultura)

DURANT, Will. História da Filosofia: vida e idéias dos grandes filósofos. Trad. de Godofredo Rangel e Monteiro Lobato. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1938.

FARIAS, Maria do Carmo Bettencourt. A Liberdade Esquecida: fundamentos ontológicos da liberdade no pensamento aristotélico. São Paulo: Loyola, 1995.

FRANCE, Farago. A Justiça. Trad. Maria José Pontieri. Barueri,SP: Manole, 2004.

GLOTZ, G. A Cidade Grega. Trad. de H. A. Mesquita e R. C. Lacerda. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 1988.

HOBUSS, J. Eudaimonia e Auto-Suficiência em Aristóteles. Pelotas: Ed.Universitária/ UFPel, 2002.

HÕFFE, Otfried. Justiça Política. Tradução Ernildo Stein, São Paulo: Martins Fontes, 2006.

JAEGER, Werner. Paideia. A Formação do Homem Grego. Trad. de A. M. Parreira. São Paulo, Martins Fontes, 1995.

____. Aristóteles. Cidade do México: Fondo de Cultura, 1992.

MONDOLFO, R. O Pensamento Antigo (trad. Motta, L.G. da) 3.ed. São Paulo: Mestre Jou, 1973.

MORAES NETO, Joaquim José de. A amizade em Aristóteles. Londrina: ed. UEL, 1999.

MORRAL, John B. Aristóteles. Trad. de Sérgio Duarte. 2. ed. Brasília: UNB, 1985. (Col. Pensamento Político, 31).

OLIVEIRA, Manfredo Araújo de. Ética e Sociabilidade. São Paulo: Loyola, 1993.

PEGORARO, Olinto A. Ética é Justiça. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

____. Ética dos maiores mestres através da história. Petrópolis,RJ: Vozes, 2006.

PERINE, M. Quatro Lições sobre a ética de Aristóteles. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

REALE, Giovanni. Aristóteles. História da filosofia grega e romana. Tradução de Henrique C. L. Vaz e Marcelo Perine. Nova edição corrigida. São Paulo: Loyola, 2007. vol. IV.

REALE, G.; ANTISERI, D. História da Filosofia. Filosofia pagã antiga, v. 1. São Paulo: Paulus, 2003.

RENAULT, Alain. História da Filosofia Política 1: a liberdade dos antigos. Trad. Jean Kahn. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.

ROSS, W. D. Aristóteles. Trad. de L. F. Teixeira. Lisboa, Dom Quixote, 1987.

SILVEIRA, D.C. Os Sentidos da Justiça em Aristóteles. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2001.

STIRN, F. Compreender Aristóteles. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2006.

SOUZA FILHO, Oscar d'Alva e. Polis Grega & Práxis Política. 3 ed. Rio-São Paulo-Fortaleza: ABC, 2003.

VERGNIÈRES, S. Ética e política em Aristóteles: physis, ethos e nomos. Trad. Constança M. César. São Paulo: Paulus, 1999.

VERNANT, J. P. As origens do pensamento grego. Trad. Isis B. da Fonseca. 4. ed. São Paulo e Rio de Janeiro: DIFEL, 1998.

VINCENT-BUFFAULT, A. Da Amizade (trad. Borges, M.L.X. de). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 1996.

WEIL, E. Filosofia Política. Trad.br. Marcelo Perine. São Paulo: Edições Loyola, 1990.

WOLFF, F. Aristóteles e a Política. Trad. de T. Stummer e L. Watanabe. São Paulo, Discurso, 1999.

ZELDIN, T. Uma História Íntima da Amizade (trad. Pólvora, H.) Rio de Janeiro: Record, 1996.

ZINGANO, M. Aristóteles. Tratado de Virtude Moral. São Paulo: Odysseus Editores, 2007.

____. Platão & Aristóteles. São Paulo: Odysseus, 2002.

 

Bibliografia Secundária em Outras Línguas

AQUINO, Tomás de. Comentário a la Ética a Nicómaco de Aristóteles. (trad. Ana Mallea). Navarra: Eunsa, 2000.

AUBENQUE, Pierre. La prudencia en Aristóteles. Barcelona, Crítica, 1999.

____. La Prudence chez Aristote. 2ª. ed. Paris: Presses Universitaires de France, 1997.

____. Le problème de l’être chez Aristote. Essai sur la problématique aristotélicienne. Paris: PUF, 1962.

AUBENQUE, P; TORDESILAS, A., éds., Aristote politique. Etudes sur la Politique d’Aristote. Paris, PUF, 1993.

BARKER, E. The politics of aristocle. New York: Oxford University, 1980.

BARLETT, R. C., and COLLINS, S. D., eds., Action and Contemplation. Studies in the Moral and Political Thought of Aristotle. New York, State University of New York Press, 1999.

BARNES, Jonathan. The complete work of Arsitotle. The revised Oxford translation, Princeton University Press, Eds.1985, 1991, 1995.

BEKKER, I. Aristotelis opera. Org. O. Gigon Berlim: Walter de gruyter, 1950, vol. I-II.

BODEÜS, R. La philosophie et la cité. Recherches sur les rapports entre morale et politique dans la pensée d’Aristote. Paris, Les Belles Lettres, 1982.

____. Politique et philosophie chez Aristote. Recueil d’études. Namur, Société des études classiques, 1991.

COOPER, J.M. Aristotle on Friendship. Essays on Aristotle’s Ethics, California/USA, 1984.

EDMOND, M.-P. Aristote. La politique des citoyens et la contingence. Paris, Payot, 2000.

FINLEY, M. I. Politics in the Ancient World. Cambridge, University Press, 1996.

FRAISSE, J.C. Philia – La Notion d’Amitié dans la Philosophie Antique. Second Tirage. Paris: Librairie Philosophique J. Vrin, 1984.

GAUTHIER, R. A.; JOLIF, J.Y. L’Éthique à Nicomaque. Tome II. Paris: Editions Béatrice-Mauwelaerts, 1959.

GOMPERZ, Theodor. Pensadores Griegos: una historia de la filosofía de la antigüedad. Trad. Carlos Köerner, J.R. Bumantel, Pedro von Haselberg y Eduardo Prieto. Barcelona: Herder, 2000. Tomo III.

GUARIGLIA, Osvaldo. Ética y Política según Aristóteles II: el bien, las virtudes y la polis. Buenos Aires: Centro Editor de América Latina, 1992.

HELLER, Agnes. Aristóteles y el mundo antiguo. Barcelona: Península, 1983.

JAEGER, Werner. Aristoteles – Bases para la historia de su desarrollo intellectual. México: Fondo de Cultura Económica, 1946.

____. Aristote – Fondements pour une histoire de son evolution (traduit et presente para Sedeyn, O.) Paris: Edition de l’Eclat, 1997.

____. Semblanza de Aristóteles. México: Fondo de Cultura Económica, 1997.

KENNY, A. Aristotle on the perfect life. Oxford: Clarendon, Press, 1992.

KEYT, D., & MILLER JR., F. D., eds., A Companion to Aristotle’s Politics. Oxford, Blackwell, 1991.

LÉVY, E. Cité et citoyen dans la Politique d’Aristote. Ktema, Strasbourg, 1988, V, pp. 223-248.

MÁYNES, E.G. Doctrina Aristotélica de la Justicia. México: Dirección General de Publicaciones, 1973.

McKEON, Richard. The Basic Wosrks of Aristotle. New York: Random House, 1941.

MILLER JR., F. D. Nature, Justice, and Rights in Aristotle’s Politics. Oxford, Clarendon Press, 1997.

MORA, Ferrater. Diccionario de Filosofía. 4 Tomos. Barcelona: Editorial Ariel, 1998.

MORAUX, P. A la recherche de l’Aristote perdu. Le dialogue “Sur la Justice”. Louvain, Publications Universitaires / Paris, Béatrice-Nauwelaerts, 1957.

REALE, Giovanni. Introducción a Aristóteles. Barcelona: Herder, 1985.

ROWE, C. Introducción a la Ética Griega (trad. Aramburo, F.G.). México: Fondo de Cultura Económica, 1979.

STERN-GILLET, S. Aristotle’s – Philosophy of Friendship. Albany: State University of New York Press, 1995.

VO LEYDEN, W. Aristotle on Equality and Justice: His Political Argument. London, Macmillan, 1994.

WOLFF, F. Aristote et la politique. 2ª. Édition. Paris: Presses Universitaires de France, 1997.

WEIL, R. Aristote et l’histoire. Essai sur la “Politique”. Paris, C. Klincksieck, 1960.

WEIL, E. L’anthropologie d’ Aristote, em Essais et Conférences I, Paris: Plon, 1970.

ZINGANO, M. Vertu et délibération. Un étude de la notion de prohairesis chez Aristote. Thèse de Docteur, Philosophie. Paris, Sorbonne, 1993.

 

Filosofia PolíticaFilosofia Política na AntiguidadeAristóteles → Bibliografia sobre Aristóteles

Os escritos de Aristóteles são geralmente divididos em exotéricos e esotéricos: os primeiros, destinados ao grande público, compostos na maioria em forma de diálogo; os segundos reservados apenas aos discípulos e estudiosos do Liceu, a escola de Aristóteles.

Dos escritos exotéricos chegaram até nós apenas alguns títulos e pequenos fragmentos. Seu primeiro escrito exotérico parece ter sido Grilo ou sobre a Retórica (onde Aristóteles defende a posição de seu mestre Platão contra Isócrates). Posteriormente tem-se: Acerca das Ideias, Acerca do Bem, Eudemos ou sobre a alma, Protréptico e Sobre a filosofia. A obra Constituição dos Atenienses é catalogada como a única das obras exotéricas que chegaram até nós por Mário da Gama Kury, tradutor e autor da apresentação da edição da Unb da Política (ARISTÓTELES, 1985).

Sobre a obra perdida As Constituições (da qual faz parte a Constituição de Atenas), assim se refere Marcel Prélot no prefácio da obra A Política, da editora Martins Fontes, traduzida por Roberto Leal Ferreira (ARISTÓTELES, 2006, p. XV): “As Constituições ou Politéia formavam uma vasta e metódica compilação, estabelecida por volta de 325, que compreendia a análise, em ordem alfabética, de cento e cinquenta e oito Constituições dos Estados simples ou das confederações, uma monografia sobre as leis dos bárbaros (Cartago e Roma) e um estudo especial sobre as pretensões territoriais dos Estados. A obra, insubstituível, infelizmente se perdeu, mas um fragmento considerável que se refere à Constituição de Atenas foi reencontrado e publicado pela primeira vez em janeiro de 1891 por Sir Frederico Kenyon”.

As obras que chegaram até nós são suas obras esotéricas que tratam de vários temas, com problemáticas filosóficas ou das ciências da natureza, da physis (natureza), do cosmos (mundo). Fazem parte do Corpus Aristotelicum:

Organon (que compõe os tratados de lógica): Categorias, De interpretatione, Analíticos primeiros, Analíticos segundos, Tópicos, Refutações sofísticas.

Filosofia natural: Física, o Céu, A geração e a corrupção, Meteorologia.

Ciências Naturais: História dos animais, As partes dos animais, O movimento dos animais, A geração dos animais

Psicologia: Sobre a alma, Parva naturalia.

A famosa Metafísica.

Filosofia moral e política: Ética a Nicômaco, a Grande Ética, Ética a Eudemo, Política, a Constituição de Atenas

Arte: Poética, Retórica.

(REALE; ANTISERI, 2003, p. 189-190)

 

Dentre as obras autênticas Mário da Gama Kury inclui ainda: Do sentido e das coisas sensíveis, Da memória e da reminiscência, Do sono, Dos sonhos, Da adivinhação pelo sono, Da longevidade e da brevidade da vida, Da juventude e da velhice, Da vida e da morte, Da respiração.

Em nota, Mário da Gama Kury (ARISTÓTELES, 1985, p. 12) ressalta que a obra Política é o resultado de aulas ou de exposições de Aristóteles anotadas por seus alunos.

O Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa desenvolveu o projeto

Obras Completas de Aristóteles

que consiste em tornar acessível ao leitor a totalidade da coleção aristotélica. Contudo, para ter acesso as obras é necessário uma permissão especial. O internauta deve inscrever-se através do formulário disponível através do site e fazer a solicitação