Espiritualidade e Saúde: um outro olhar sobre o modelo biomédico de atenção à saúde

Artigo apresentado no VIII Congresso Internacional em Ciências da Religião, realizado em abril de 2016 em Goiânia e organizado pela PUC-Goiás.

 

RESUMO

Ao longo dos dois últimos anos (2014-2015) venho atuando como conselheiro do Conselho Municipal de Saúde de Parintins (CMS/PIN) e o que se observa nas políticas de saúde do município é uma total ausência de um modelo de atenção à saúde que leve em consideração o ser humano de forma integral: corpo, mente e espírito. Esta ausência pode ser observada, por exemplo, na análise dos Programas e Planos anuais e municipais de saúde (PAS e PMS) e nos serviços de saúde oferecidos aos usuários no município. Esta comunicação surge da necessidade de buscar subsídios teóricos e epistemológicos que possibilitem a inserção desta temática nas políticas de saúde do município, partindo de uma visão mais integradora entre o corpo físico e nossa dimensão espiritual. Um outro modelo biomédico de atenção a saúde que considere o ser humano de forma integral e holística, ou seja, a partir de uma perspectiva biopsicossocioespiritual. Para fundamentar esta análise irei buscar elementos em uma relação por assim dizer “mística” entre a religião e a ciência presente na obra de autores como Fritjof Capra e Amit Goswani. O primeiro, autor de O Tao da Física e O Ponto de Mutação; o segundo, autor de O Universo Autoconsciente e A Física da Alma. É a partir de alguns conceitos tirados destas obras que irei defender um outro olhar sobre o modelo de atenção à saúde a partir de uma compreensão integral do ser humano, ou seja, que leve em consideração sua dimensão física, mental e espiritual.

Palavras-chave: Física quântica; Políticas de saúde; Espiritualidade.

 

O artigo completo está disponível para download: Texto completo_Espiritualidade e Saúde.

 

Ciência PolíticaPolíticas Públicas de SaúdeEspiritualidade e Saúde → Espiritualidade e Saúde: um outro olhar sobre o modelo biomédico de atenção à saúde