Game of Thrones

por Alexsandro M. Medeiros

lattes.cnpq.br/6947356140810110

postado em jul. 2017

            Game of Thrones (GOT) é uma produção audiovisual das mais premiadas de todos os tempos, onde sete reinos de Westeros estão em constante conflito, dominados por dinastias de famílias que selam alianças, duradouras ou temporárias, permeada de conspirações e rivalidades que correm no jogo político pela disputa do Trono de Ferro, o símbolo do poder absoluto. Exibida pela HBO, a primeira temporada surgiu em 2011, a partir de uma adaptação da série de livros de fantasia épica intitulada “As crônicas de gelo e fogo” (A Song of Ice and Fire) escrito pelo roteirista, escritor de fantasia e ficção científica norte americano George R. R. Martin, divididas em cinco volumes A Guerra dos Tronos, em 1996; A Fúria de Reis (1998); A Tormenta das Espadas (2000); O Festim dos Corvos (2005); A Dança dos Dragões (2011); e com a previsão de mais dois volumes, Winds of Winter e A Dream of Spring (Os Ventos do Inverno e Um Sonho de Primavera, em livre tradução)

            Trata-se de uma tradução intersemiótica, na terminologia de Jakobson (2007, p. 63-72), ou seja, uma “interpretação de signos verbais por meio de sistemas de signos não verbais”.

            Vemos em GOT um mundo de narrativas, de guerras, de disputas que misturam política, religião e o sobrenatural, marcados pela disputa do poder, ganância, traições, amizades, intrigas familiares que se passa no contexto ficcional formado por Westeros (composta pelos Sete Reinos), as Cidades Livres (situadas no outro lado do Mar Estreito), e as terras dos povos selvagens para além da Muralha.

            Após uma profecia de destruição total de Valíria, terra da família dos Targaryen, estes fogem para uma pequena região de Westeros onde conseguem dominar com facilidade todos os reinos, pois há muito haviam dominado os dragões existentes e conviviam comumente com a magia. Esse poder irá instituir uma única nação chamada de Sete Reinos. Westeros é então “dominada por Aegon Targaryen, que as submeteu à sua casa e ao seu Trono de Ferro, formando uma só nação. Com isso, os Sete Reinos se tornaram Sete Casas juramentadas ao rei: Targaryen, Baratheon, Stark, Lannister, Greyjoy, Tully e Tyrell” (COUTO, 2015, p. 10).

         Com a morte do último Dragão acontece a rebelião da família Baratheon que atacam e saqueiam a capital dos Sete Reinos, Porto Real (ou King’s Landing), tomando o poder do Trono de Ferro. A história tem início (primeira temporada) com o domínio do Rei Robert Baratheon sobre Westeros e o Trono de Ferro.

            De acordo com Toledo (2014, p. 23-24),

Eventos históricos serviram de base para a construção da narrativa, como a Guerra das Rosas [entre 1455 e 1458 na Inglaterra], que também inspirou nome de duas das famílias pertencentes a história, os Stark e os Lannister, assim como massacres como o Black Dinner [traição sofrida pelo regente e protetor do trono escocês por volta do ano 1440, enquanto o rei Jaime II ainda era criança], no qual se baseia o “Casamento Vermelho” [a traição sofrida por Robb e Catelyn Stark], um dos principais acontecimentos da saga.

 

Referências

COUTO, Paloma Rodrigues D. Um Jogo de Rainhas: as mulheres de Game of Thrones. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social). Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora-MG, 2015.

JAKOBSON, R. Linguística e Comunicação. São Paulo: Editora Cultrix, 2007.

TOLEDO, Ludmila S. Representações Femininas na Literatura de Fantasia: Uma análise sobre a construção das personagens femininas em “As Crônicas de Gelo e Fogo”. Monografia (Bacharelado em Comunicação Social). Faculdade de Comunicação. Universidade de Brasília. Brasília, 2014.

 

Sugestões Bibliográficas

COGMAN, Bryan. Por dentro da série da HBO Game of Thrones. São Paulo: LeYa, 2013.

FRANKEL, V. E. Women in Game of Thrones: Power, Conformity and Resistance. North Carolina: McFarland & Company, 2014

JACOBY, Henry (editor). A Guerra dos Tronos e a filosofia. Rio de Janeiro: BestSeller, 2012.

MARTIN, George R. R. A Guerra dos Tronos. São Paulo: Leya, 1996.

____. A Fúria dos Reis. São Paulo: Leya, 1998.

____. A Tormenta das Espadas. São Paulo: Leya, 2000.

____. O Festim dos Corvos. São Paulo: Leya, 2005.

____. A Dança dos Dragões. São Paulo: Leya, 2011.

____; GARCÍA JR., Elio M.; ANTONSSON, Linda. O Mundo de Gelo e Fogo: a história não contada de Westeros e As Crônicas de Gelo e Fogo. Leya, 2014.

 

 

A Política e suas Interfaces → Arte e PolíticaCinema e Política → Game of Thrones

Aqui você encontrará uma série de textos, em forma de artigos ou resenha, com análises críticas sobre a série, levando em consideração principalmente a questão política e social que serve de pano de fundo a produção de Game of Thrones.

  1. O Trono de Ferro: jogo de poder e disputa em Game of Thrones (em breve)
  2. O que a sétima temporada de Game of Thrones trouxe de ensinamento para nós, brasileiros?
  3. Representações de Gênero
  1. Religião, Magia e o Sobrenatural em Game of Thrones (em breve)

 

 

Veja abaixo um resumo das seis primeiras temporadas.

Atenção: se você não gosta de saber o final do filme, antes de assistir um filme, então não leia os resumos abaixo, pois os mesmos contêm spoilers.

Resumo da 1ª e 2ª Temporada

Resumo da 3ª e 4ª Temporada

Resumo da 5ª e 6ª Temporada

           Resumo da 7ª Temporada

 

Array