O papel do cidadão nas democracias representativas

O papel do cidadão nas democracias representativas

por Rafael Guimarães Farias

Willian Brito da Silva

Acadêmicos de Serviço Social da UFAM

Postado em mar. 2016

 

            A democracia representativa é a forma pela a qual a população hoje em dia tem o poder de escolher seus representantes, para que os mesmos possam legislar e executar os benefícios em prol do povo. Esse tipo de democracia tem como principal meio de escolha o direito ao voto, nessa democracia cabe também ao povo fiscalizar os seus representantes, pois o cidadão tem o poder maior de botar e tirar quem está no poder, no qual o povo escolheu para tomar decisões políticas em nome dos seus representados, é uma das democracias mais comuns da atualidade.

                      Esse modo de democracia é totalmente diferente da antiga democracia grega, pois apesar de todo cidadão pode participar dos debates públicos, somente uma ínfima parcela da população grega era considerada cidadã e por isso só podia participar uma pequena porcentagem da população, algumas pessoas que fossem coerentes e influentes na sociedade, tendo assim vez e voz nas escolhas de projetos para o desenvolvimento econômico e social. Já na democracia representativa a maioria da população, os ditos cidadãos podem escolher diretamente através do voto seus representantes.

                      Essa nova visão de democracia nos dias atuais estão divididas em duas áreas de poderes políticos na sociedade sendo eles o Poder Executivo e Poder Legislativo, sendo que o poder executivo tem como papel primordial de governar e administrar os interesses da sociedade como um todo, cumprindo todas as leis que rege a Constituição do seu estado e da nação. O poder legislativo é responsável de criar leis que regulam o estado pelas quais a sociedade tem o papel de obedecê-las, e responsável de fiscalizar o Poder Executivo. Mas quem fiscaliza o poder legislativo? Por isso o cidadão tem um papel fundamental nesse modelo de democracia, pois cabe ao povo além de votar, ter como o papel principal na democracia representativa fiscalizar o poder legislativo e executivo, pois foi o cidadão que colocou os mesmos no poder.

                      Por muitos anos ao longo do século XIX e meados do século XX o direito de votar do povo foi negado no Brasil, onde apenas poucas pessoas tinham o direto de escolher seus representantes, pois só podia votar homens ricos e de grande influência na sociedade, mulheres e pessoas suburbanas não tinham vez e nem voz na democracia de seu país, mas com o passar dos anos esse paradigma foi quebrado através de lutas e conquistas sociais, assim dando o direto para todos de escolher os seus representantes através das eleições eleitorais que é a democracia mais comum na atualidade.

                      Mas infelizmente essa forma de democracia vem perdendo credibilidade com a sociedade que elege seus governantes por existirem muitos políticos corruptos representando o povo, pois eles deveriam trabalhar para o bem comum de todos, mas acabam trabalhando em prol de si mesmo e assim se corrompendo e fazendo o que não é correto perante as leis de seu país. De acordo com o pensamento de Manfredin (2008, p. 10) “Os partidos políticos tornaram-se espaço para negociação de interesses privados, siglas de aluguel, sem ideologia definida e há muito tempo desvinculados da sociedade”. E isso acaba despertando más intenções aos políticos corruptos em suas carreiras politicas, assim muitas vezes comprando votos que os levam ao poder, o que deveria ser algo espontâneo do eleitor, acaba sendo algo criminoso e arriscado para o futuro de todos. Mas apesar disso,

 

É preciso crer na política, perceber que a maioria do que se contesta é culpa, justamente, do afastamento do cidadão da sua missão, do seu dever. A aversão a política causa mais estragos do que possamos imaginar, é necessário atestar isso, senão nossa democracia representativa irá continuar morta, e pior, nos levará junto com ela (CAMPELO, 2015, p. 1).

 

            Portanto, é necessário crer na politica, procurar conhecer os representantes  e banalizar a politicagem (que diferente da política não visa o bem comum, mas interesses privados), sendo assim para que a democracia representativa seja viva é necessário que haja mudanças, a começar pelos cidadãos exercendo o seu papel de fiscalizar os seus governantes para que os mesmos possam atender realmente as necessidades do povo e evitar aversão .

 

Referencias

CAMPELO, Wilson D. A Democracia Representativa em crise: Qual a solução? Disponível em: <http://wilsondasein.jusbrasil.com.br> Acesso em 15/02/2016.

 MANFREDIN, Karla M. Democracia representativa brasileira: o voto distrital puro em questão. Disponível em: <http://www.euvotodistrital.org.br>. Acesso em 15/02/2016.

 

(Ciber)democraciaDemocracia Representativa → O papel do cidadão nas democracias representativas