Parlamento Jovem

Parlamento Jovem

Parlamento Jovem termina com aprovação de projetos sobre doação de sangue e ensino médio



            Em uma sessão plenária simulada na Câmara dos Deputados, 78 jovens de todo o País aprovaram na sexta-feira (30/09) dois projetos de lei apresentados por eles mesmos. A votação marcou o encerramento da 13 ª edição do programa Parlamento Jovem Brasileiro, iniciativa realizada pela Câmara desde 2004 como forma de envolver adolescentes brasileiros em discussões sobre política e cidadania.

            Neste ano, receberam votos pela aprovação a proposta que permite a doação de sangue por homens que fazem sexo com homens, com os mesmos critérios de segurança exigidos dos doadores heterossexuais, e a que prevê a disciplina de metodologia científica básica no ensino médio.

            Os textos passarão a integrar o banco de dados do programa e poderão ser encampados por algum deputado que se interesse, para serem apresentados como projetos de lei de fato.

 

Processo democrático
            Ao longo do processo, os estudantes de ensino médio de escolas públicas e particulares selecionados para vivenciar o processo democrático simularam o trabalho das comissões da Câmara dos Deputados. Eles participaram de debates e votações como se fossem deputados federais.

            As propostas votadas na sessão simulada foram apresentadas por Beatriz Alcântara e Renato Menezes e escolhidas pelo colégio de líderes jovem para entrar na pauta.

            Autora do projeto sobre a doação de sangue, Beatriz, de 18 anos, é bolsista em uma escola particular de Salvador (BA). De Brasília ela leva o aprendizado de que o debate sobre política no País precisa de mais profundidade. “Eu percebi isso com o meu projeto. Por ser polêmico, eu tive de me aprofundar e ler artigos para ter embasamento para defender o texto”, afirmou.

            Aluno de uma escola pública federal em Rio Branco (AC), Renato, 17 anos, apresentou o projeto sobre o currículo do ensino médio. Ele aprendeu que as pessoas têm opiniões diferentes e que todo assunto deve ser discutido de forma a se chegar a um consenso. “Tivemos a oportunidade de elaborar leis e discutir quais delas podem ser melhores para o nosso País”.

 

         Um clima de despedida marcou a reunião, com choro e abraços entre os jovens. Houve também discursos pró-democracia e até manifestações políticas contra o governo de Michel Temer e a ex-presidente Dilma Rousseff.

 

Programa
            Nesta edição, os 78 participantes do programa foram selecionados entre 1.425 inscritos. Os interessados em viver essa experiência tiveram que elaborar um projeto de lei com o objetivo de melhorar a realidade do País. Essas propostas serviram de base para a seleção.

            Iniciado em 2004, o Parlamento Jovem Brasileiro é direcionado a estudantes do 2º ou 3º ano do ensino médio ou do 2º, 3º ou 4º ano do ensino técnico, na modalidade integrada ao ensino médio, com idades entre 16 e 22 anos.

        Mais informações podem ser obtidas no endereço eletrônico www.camara.leg.br/pjbn e na fan page do PJB: www.facebook.com/parlamento.jovembrasileiro

 

via Agência Câmara de Notícias

 

Ciência PolíticaPolíticas PúblicasPolíticas Públicas de Juventude → Parlamento Jovem