Nova ferramenta permite opinião de internauta sobre parecer de deputado

O portal e-Democracia da Câmara foi totalmente reformulado. A página, que existe desde 2009, foi atualizada para se tornar ainda mais acessível para os cidadãos e os deputados. O diretor do Laboratório Hacker da Câmara, Cristiano Ferri, explicou que a finalidade é aumentar a interação e a participação popular. Ele destaca, entre as novidades, a ferramenta denominada Wikilegis.

Nessa plataforma, os deputados irão colocar pareceres iniciais sobre projetos e os cidadãos poderão opinar sobre o texto. "Essa é, talvez, uma das melhores ferramentas de participação digital nesse formato de contribuição colaborativa em cima do texto. E uma das inovações é que o cidadão, além de comentar cada dispositivo, pode também apresentar a sua própria versão". Segundo Ferri, nesse momento estará visível, na tela, a diferença entre o original e a sugestão apresentada pelo internauta.

O diretor explicou que outros participantes poderão votar no texto que acharem melhor e, ao final, o parlamentar recebe um relatório sobre como foi a participação e as sugestões apresentadas. Para Ferri, isso torna o processo legislativo mais participativo.

Ferri também destacou o Expressão, que é um espaço semelhante a um fórum virtual, no qual deputados podem defender suas opiniões sobre temas em discussão na Câmara, e onde os internautas deixam seus comentários.

Outra atualização foi feita na participação das audiências interativas. Agora, além de acompanhar ao vivo, os internautas poderão encaminhar comentários e perguntas.

Acessos
O portal chegou a 50 milhões de acessos no ano passado. Cristiano Ferri acredita que esse tipo de interação faz aumentar o interesse da população sobre o que acontece na Câmara. "As redes sociais, como Facebook e Twitter, não são as mais adequadas para abrigar discussões complexas de políticas públicas, que reúnam todo os tipos de grupos e visões, por isso desenvolvemos um portal institucional para esse fim, onde o cidadão pode livremente conversar com os parlamentares."

A diretora-geral adjunta da Câmara, Cássia Ossipe, destacou a importância de se ampliar a participação do cidadão no processo legislativo. Ela acredita que o projeto pode se tornar um canal eficiente de comunicação entre a população e os parlamentares. "Nossa expectativa é que cada vez esse projeto se torne mais institucional dentro da Casa. Não apenas como uma possibilidade de participação do cidadão, mas realmente como uma participação mais efetiva", afirmou.

O e-Democracia busca, por meio da internet, incentivar a participação da sociedade no debate de temas importantes para o País e a população.

 
via Agência Câmara de Notícias

 

Ciências PolíticasPoder e SoberaniaPoder Legislativo → Nova ferramenta permite opinião de internauta sobre parecer de deputado

Array