Saberes Tradicionais e Saúde

Saberes Tradicionais e Saúde

 

            Os povos tradicionais como os ribeirinhos, povos indígenas, quilombolas, camponeses têm um modo de vida próprio, de produção e reprodução da vida social relacionado predominantemente com a terra e com os recursos naturais, caracterizado por uma diversidade de raças, etnias, povos, religiões, tradições, cultura. Um olhar atento deve ser direcionado a estes povos, considerando toda sua riqueza e diversidade cultural.

            A valorização e o reconhecimento destes saberes tem sido um tema abordado de diferentes maneiras e um tema bem atual nas pesquisas antropológicas e em ciências sociais. Já existe inclusive à nivel nacional um ordenamento jurídico que prevê o reconhecimento dos saberes, conhecimentos e práticas dos povos tradicionais, como é o caso da Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo e da Floresta (PNSIPCF), instituída através da Portaria n° 2.866, de 2 de dezembro de 2011, a Portaria nº 971, de 03 de maio de 2006, que aprova a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde e a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos que estabelece dentre suas diretrizes o resgate, a valorização, a promoção e o reconhecimento das práticas populares de uso de plantas medicinais e remédios caseiros, procurando identificar e implantar formas de validação e reconhecimento que levem em conta os diferentes saberes tradicionais/popular e apoiar iniciativas comunitárias para a organização e o reconhecimento dos conhecimentos tradicionais e populares. Este texto aborda, como o próprio título indica, a relação entre os saberes tradicionais e as políticas de saúde como parte da Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos.

            Dois textos foram produzidos tomando como base esta temática:

 

1) O primeiro foi publicado como capítulo do livro Fronteiras de Saberes e tem como título: Políticas de saúde e conhecimentos tradicionais na Amazônia: o uso de plantas medicinais. Veja o capítulo 11 do livro que está disponível para download. Acesse o link: Fronteiras de Saberes.

2) Uma versão ligeiramente modificada desse capítulo foi apresentada em forma de comunicação científica no evento IV EBPC (Encontro Brasileiro de Pesquisa e Cultura) sob o título: Saberes tradicionais e saúde: reconhecimento e não reconhecimento de práticas culturais seculares. Estamos aguardado a publicação dos anais do evento para disponibilizar o texto completo para download.

 

 

Ciência PolíticaPolíticas PúblicasPolíticas Públicas Indigenistas → Saberes Tradicionais e Saúde