Conheça a universidade de tecnologia que não tem professores

Inaugurada neste mês na Califórnia, a 42 é uma universidade diferente: com o objetivo de ensinar codificação e desenvolvimento de software, a instituição não tem livros, nem professores nas salas de aula. E o melhor: não cobra nada pelo seu trabalho.

 

Mas como são feitas as avaliações? De acordo com a universidade, ao longo do ano os alunos são divididos em grupos e auxiliam, assim como avaliam os projetos de seus colegas de sala. Entre os projetos que podem escolher trabalhar estão criar um site ou um game, tarefas reais para quem trabalha no setor.  A nota é dada por um aluno escolhido aleatoriamente que analisa todo o projeto.

 

A cada projeto concluído, os alunos sobem de nível, se formando ao atingir o 21, o que leva de três a cinco anos.

 

De graça

 

A universidade foi fundada por Xavier Niel, um bilionário da tecnologia, o que garante os estudos e moradia dos alunos sem cobrar por isso. O objetivo da instituição é atender cerca de 1.000 alunos por ano nos cursos.

 

A universidade não é nova. Na França, ela funciona desde 2013 e tem obtido bastante sucesso entre os jovens. Para quem duvida do método, a 42 – que tem seu nome inspirado na série de livros O Guia do Mochileiro das Galáxias – apresenta as empresas onde seus alunos recém-formados trabalham: IBM, Amazon e Tesla, além de companhias próprias.

 

Os diretores da instituição explicam que as companhias têm destacado os diferenciais do ensino, declarando que os estudantes são mais propensos a descobrir informações sozinhos, em vez de pedir ajuda aos chefes.

 

Apesar de inovador, o método pode não ser ideal para todo mundo. “Ele combina com indivíduos muito disciplinados e automotivados”, explica Britanny Bir, diretora da unidade da universidade na Califórnia, à BBC.

 

via Olhar Digital


Ciência PolíticaPolíticas PúblicasPolíticas Públicas de Educação → Conheça a universidade de tecnologia que não tem professores

 

200007577-a8677a962b/50000000.jpg